Obras de museu holandês ganham vida

Estações do metrô de Amsterdam e Roterdam se tornaram galerias de arte vivas

Da Redação


Transeuntes viam como as obras ganharam vida, e até podiam entrar no quadro, fazer parte dele e tirar um selfie a partir da câmera de vídeo embutida na tela

KPN, principal patrocinador do museu holandês Rijksmuseum, queria levar as obras de arte do museu para a rua, perto do público. E, com este objetivo em mente, foram colocadas 84 telas digitais nas 16 estações do metrô de Amsterdam e Roterdam. Os transeuntes viam como as obras ganharam vida, e até podiam entrar no quadro, fazer parte dele e tirar um selfie a partir da câmera de vídeo embutida na tela para compartilhá-las no Facebook e Twitter.

Esta ação foi realizada no último mês de março para comemorar o aniversário de reabertura do museu, depois do projeto de modernização realizado em 2013 para incorporar inovadoras tecnologias digitais.

Durante uma semana, as estações de metrô se transformaram em galerias de arte digital. "A leiteira" de Vermeer estava derramando leite e a "A ronda noturna" de Rembrandt entrou em ação pela primeira vez na história.

Criar uma campanha que realmente chamasse a atenção e atraísse todo o tipo de público foi uma das principais razões pelas quais a KPN decidiu apostar em uma iniciativa dooh (digital out of home) que permitisse que as grandes obras mestras do Rijksmuseum ganhassem vida nas telas digitais e criarem um grande impacto visual.

 

 

Notícias Relacionadas